Estado tem 50 milhões para comprar e

O Governo vai lançar esta quinta-feira um novo programa para a reabilitação de imóveis, com uma dotação de 50 milhões de euros, destinado às empresas do

Notícias Estado tem 50 milhões para comprar e depois alugar imóveis de empresas do turismo e indústria
22 NOV 2022 Voltar
6850566884524j.jpg

O Governo vai lançar esta quinta-feira um novo programa para a reabilitação de imóveis, com uma dotação de 50 milhões de euros, destinado às empresas do turismo e da indústria, anunciou o ministro da Economia. Chama-se “Call 50 | Turismo e Indústria”.

A ideia é que o Governo, através dos fundos de investimento imobiliário geridos pela Turismo Fundos, possa adquirir os imóveis de empresas do turismo e da indústria e, subsequente, os arrendem às empresas em questão com contratos de longo prazo. De acordo com os detalhes do programa, está ainda prevista a opção de recompra por parte das empresas.

O objetivo é “disponibilizar liquidez que permita o investimento por parte das empresas, sobretudo, na adaptação, requalificação e modernização dos imóveis afetos à atividade turística ou industrial”, lê-se.

Assim, o programa destina-se, essencialmente, a empresas que sejam proprietárias de imóveis afetos à atividade turística ou industrial. Complementarmente, são também elegíveis, em operações de sale, invest and lease, as empresas que, não sendo proprietárias de imóveis afetos à atividade turística, se proponham investir na sua requalificação e no seu subsequente arrendamento.

E ainda as empresas que, não sendo proprietárias de imóveis não afetos à atividade turística, e que se situem em territórios de baixa densidade, se proponham investir na sua reconversão para utilização turística e no seu subsequente, refere o Ministério da Economia, em comunicado enviado esta quinta-feira.

O montante máximo por operação é de seis milhões de euros e o preço de aquisição corresponderá, no máximo, a 85% da média do valor das avaliações imobiliárias. O valor da renda resulta da aplicação de uma taxa fixa de 4% sobre o valor de aquisição. Nos territórios de baixa densidade, a taxa pode ser reduzida até aos 2,5 % (taxa fixa).

As empresas interessadas deverão submeter as suas propostas através de um formulário, disponível aqui.

 

(Fonte Eco, tratado por ASMIP)

Partilhar
x